Reacção de polimerização em cadeia (PCR)

Março 20, 2010 at 9:44 pm (Uncategorized)

O desenvolvimento da técnica de amplificação de sequências específicas de ácidos nucleicos por reacções de polimerização em cadeia, PCR, veio colmatar a dificuldade das análises efectuadas com pequenos fragmentos ou pequenas quantidades de DNA e permitir a tiragem rápida de muitos microrganismos. Tornou-se ainda uma ferramenta valiosa na identificação e classificação de bactérias.

A Reacção em Cadeia da Polimerase (PCR) é um método muito sensível de análise e por isso é realizado com muito cuidado para evitar contaminações que possam inviabilizar ou tornar inválido o resultado.

Depois de extraído o DNA, a este são adicionados os primers também chamados de oligonucleotídeos (ou iniciadores) e a enzima DNA polimerase numa solução.

 Toda esta mistura é colocada num termociclador, o qual faz ciclos de temperatura pré-estabelecidos com tempos exactos específicos para cada reacção (fragmento a ser amplificado).

Na primeira etapa do ciclo a temperatura é elevada de 94 a 96°C por pouco tempo para que haja separação da dupla cadeia de DNA (Desnaturação).

Na segunda etapa, a temperatura é reduzida entre 50 a 60°C para que os primers se liguem à fita molde de DNA . Na última etapa do ciclo a temperatura é elevada a 72°C para que a enzima possa funcionar sintetizando a nova molécula (extensão).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: